Qual a melhor proteína para o ganho de massa muscular?

3 minutos para ler

Proteínas sãos essenciais para o ganho de massa muscular. No caso de baixa ingestão de proteínas na dieta, uma intervenção precoce é necessária para prevenir ou minimizar a perda de massa muscular. Alto consumo de proteína, principalmente o consumo da Leucina, ou seu metabólito ativo b-hidroxi metilbutirato (HMB), são essenciais. A qualidade e quantidade de proteína ofertada é de extrema importância na restauração do anabolismo muscular e no combate a desnutrição.

Qual o primeiro passo na restauração da massa muscular?

O tratamento de pacientes em risco de perda de massa muscular pode prevenir, ou retardar, o início da atrofia muscular, ou mesmo almejar a reconstrução do músculo quando a atrofia muscular já for evidente. Como um primeiro passo, o tratamento deve fornecer energia adequada para que as proteínas musculares e seus amino constituintes sejam poupados como fonte de energia. Além disso, a ingestão elevada de proteínas é vital para o tratamento da atrofia muscular, ou para retardar seu início.

A melhor maneira de prevenir a perda muscular é garantir que a quantidade suficiente de proteína seja ingerida, assim como a sua qualidade seja a adequada. O uso de suplementos nutricionais orais ricos em proteínas (20% de proteína) pode ser benéfico para esses pacientes e pessoas com déficit proteico. No entanto, é preciso se atentar para o fato de os aminoácidos de cadeia ramificada (BCAAs), especialmente a Leucina, promovem a síntese de proteínas nos músculos através de uma série de vias. 

O que é Leucina?

Leucina é um dos aminoácidos de cadeia ramificada (os outros são isoleucina e valina), que se destaca pela capacidade de promover a síntese proteica via mTor, para maior incorporação de aminoácidos nas fibras musculares, assim como fomenta o estímulo de células satélites para garantir não só hipertrofia, mas hiperplasia e regeneração tecidual.

Alguns trabalhos sugerem a suplementação com Leucina como forma de terapia importante para promoção do anabolismo e regeneração do tecido muscular lesado, inclusive com a oferta de outros nutrientes que possam exercer ação sinérgica.

O metabólito da Leucina, b-hidroxi b-metilbutirato (HMB), age como um potente estimulador da síntese de proteínas, bem como um inibidor da degradação de proteínas no caso extremo de caquexia. Estudos atuais sugerem que o HMB pode ajudar a desacelerar, ou mesmo reverter, a perda muscular experimentada na sarcopenia e melhorar as medidas de força muscular.

Onde encontramos Leucina?

O soro do leite é uma fonte rica em aminoácidos ramificados (BCAA), os quais são utilizados para estimular a síntese de proteínas. A Leucina, em particular, desempenha um papel essencial ao iniciar a transcrição da síntese de proteínas.Quando a leucina é ingerida em grande quantidade, como no caso dos suplementos de proteína do soro do leite, verifica-se maior estimulação da síntese proteica, o que pode acelerar a recuperação e adaptação ao stress do exercício físico.

Os aminoácidos de cadeia ramificada perfazem 21,2% de todos os aminoácidos essenciais que constituem o soro do leite (42,7%). Esses valores estão acima da média, quando comparados àqueles de outras fontes proteicas, fornecendo às proteínas do soro importantes propriedades nutricionais. 

A indicação de suplementação de Leucina deve ser avaliada e orientada individualmente, para cada indivíduo, pelo médico ou nutricionista, conforme estado nutricional e necessidades.

Você também pode gostar