Papel da Nutrição na prevenção e tratamento da Lesão por Pressão 

5 minutos para ler

A nutrição tem um papel muito importante na prevenção e no tratamento de lesões por pressão, agudas ou crônicas. Para entender melhor sobre como a nutrição e o tratamento dessas lesões se relacionam, vamos separar algumas informações.

O que é lesão por pressão?

A lesão por pressão é caracterizada como uma ferida originária da pressão de uma proeminência óssea contra o músculo e a pele. As lesões por pressão ocorrem quando a pressão contra os tecidos moles é constante, impedindo que aconteça o fluxo sanguíneo normal na região afetada.

Na prática clínica, podemos observar uma elevada prevalência de feridas agudas e crônicas, causadas por lesão por pressão, como úlceras vasculogênicas e pé diabético,  em pacientes hospitalizados e domiciliados. Dados da literatura mostram que 29% dos pacientes hospitalizados desenvolvem lesão por pressão, enquanto nos indivíduos domiciliados essa estatística alcança mais de 30%. Estes indicadores nos apontam que as lesões por pressão são multifatoriais e devem, portanto, serem abordadas do ponto de vista multidisciplinar. 

Relação da Nutrição com a Lesão por pressão 

A nutrição adequada é importante para a prevenção e/ou cicatrização de feridas. A European Pressure Ulcer Advisory Panel, National Pressure Injury Advisory Panel and Pan Pacific Pressure Injury Alliance (EPUAP/NPIAP/PPPIA) orienta considerar a nutrição como fator fundamental, pois está ligada a vários processos biológicos envolvidos no processo cicatricial. Para atingirmos uma adequada nutrição, vários nutrientes devem ser ofertados. De acordo com um estudo americano, ao avaliar o processo de atendimento aos idosos hospitalizados com risco de lesão por pressão (n=2425), observou-se que 76% desses pacientes eram desnutridos.

As principais diretrizes e guidelines apontam a desnutrição como um dos principais fatores de risco ao desenvolvimento de uma lesão por pressão, além de ser um dos principais impeditivos no processo de cicatrização adequado. Indivíduos desnutridos apresentam uma capacidade de reparação e reconstrução dos tecidos comprometida, fato esse que influencia, negativamente, o processo de cicatrização.

Oferta de nutrientes na Lesão por pressão 

O processo inflamatório causado pela ferida, além de aumentar o gasto energético, também é responsável por alterações no apetite e no consumo alimentar, conduzindo o paciente à redução na ingestão energética. Desta forma, as recomendações de energia são elevadas (de 30 a 35 kcal/Kg), considerando que a prioridade na fase de cicatrização é a energia adequada fornecida por meio de carboidratos e gorduras, a fim de poupar proteínas para a estrutura celular e síntese de colágeno. As proteínas devem ser ofertadas em 1,2 e 1,5g/Kg, considerando que este também é um nutriente necessário requerido em todo o processo cicatricial.

Tão importante quanto ao quantitativo proteico, a qualidade proteica ofertada exerce um efeito primordial no processo cicatricial. Afinal, achados científicos, reportam qualidades proteicas específicas e essenciais ao processo de cicatrização de feridas, das quais fazem parte o colágeno hidrolisado e a arginina.

Colágeno hidrolisado

No processo de reparação das feridas (cicatrizes), como a de lesões por pressão, o colágeno é de fundamental importância na união das bordas, sendo o principal responsável pela resistência mecânica da cicatriz, a síntese de proteína fibrosa constitui a essência da cicatrização.

Lee e colaboradores (2006) relataram que o fornecimento de um suplemento com 15 gramas de colágeno hidrolisado, três vezes ao dia, resultou na redução de 60% nos escores PUSH, após 8 semanas de tratamento, em comparação com uma redução de 48% no grupo controle (p<0,05).

Arginina

Diversos achados científicos reportam que a suplementação com arginina reduz a perda de massa muscular, otimiza a síntese de colágeno e favorece a deposição do mesmo no processo de cicatrização. A suplementação de arginina, no contexto clínico, é geralmente segura, desde que se assegure uma dose terapêutica. Nesse sentido, Benati e colaboradores (2001) verificaram que a suplementação diária, de até 9 gramas de arginina/dia, auxilia positivamente o processo cicatricial.

Vitaminas e Minerais

Outro ponto observado na nutrição como pilar do tratamento de uma lesão por pressão são as vitaminas. A vitamina A, vitamina C, ferro, zinco e selênio são considerados micronutrientes indispensáveis para cicatrização. A vitamina C é necessária para a formação das fibras de colágeno, sendo, portanto, indispensável. Além disso, a vitamina C otimiza a absorção e utilização do ferro, outro nutriente essencial no processo de cicatrização.

Os minerais zinco, cobre e selênio têm ação conjunta como antioxidante por meio da ativação da glutationa peroxidase. Esta combinação antioxidante é importante no processo cicatricial.

As evidências dos estudos sugerem que a duração da intervenção (suplementação oral hiperproteica com arginina e micronutrientes) deve ser de pelo menos 4 semanas e a administração, até o completo fechamento da ferida, é aconselhável. 

Por fim, ressaltamos que a nutrição adequada deve ser feita com acompanhamento médico. Lesões por pressão são sérias se não tratadas corretamente, com medicamentos, cuidados de enfermaria e nutrição adequada.

Você também pode gostar