Os benefícios da suplementação com CoQ10

3 minutos para ler

Estudos indicam que a quantidade de Coq10, nos diversos tecidos, tende a cair com o passar do tempo e o envelhecimento do organismo. Alterações nos níveis de Coq10, durante o envelhecimento, podem afetar a suscetibilidade dos idosos às doenças infecciosas e a resposta do sistema imunológico.

O que é CoQ10?

A coenzima Q10 (CoQ10) é um componente presente em grande quantidade nas membranas das células. Ela é capaz de controlar as reações bioquímicas de ação antioxidantes, de modular a permeabilidade mitocondrial, controlar o pH, gerar ATP e modular a expressão de vários genes.

A possível redução dos níveis de CoQ10 pode ser um fator de risco relevante para disfunção dessas células e também para danos oxidativos nas membranas celulares e lipoproteínas. Diante disto, uma disfunção da capacidade antioxidante da CoQ10 durante o envelhecimento pode agravar a progressão de muitas doenças relacionadas com a idade, que dependem dos processos de sinalização da membrana plasmática.

Com o passar dos anos, chegamos a perder um percentual significativo de CoQ10 nos tecidos corpóreos. Isso é muito relevante, pois altera toda a capacidade de funcionamento celular dos diversos órgãos,  reduzindo a nossa vitalidade e favorecendo o surgimento de doenças.

As evidências verificadas até o momento indicam que a suplementação com CoQ10 pode melhorar a atividade do sistema imunológico durante o envelhecimento, afetando a disfunção mitocondrial e a capacidade antioxidante. Esses efeitos podem melhorar a atividade da resposta imune adquirida, ao mesmo tempo em que reduz a inflamação crônica.

O uso de CoQ10 nas doenças inflamatórias crônicas

A grande maioria das doenças associadas ao envelhecimento celular tem um caminho fisiológico que passa pelo desenvolvimento da inflamação crônica, especialmente as doenças da síndrome metabólica (diabetes, hipertensão, obesidade, dislipidemias, hiperuricemia), as cardiopatias, câncer e a doença renal crônica. Isso pode ser observado em alguns estudos que sugerem uma redução nos biomarcadores inflamatórios plasmático, especialmente das citocinas e da proteína C- reativa, após suplementação com CoQ10.

Em tendência recente, suplementações têm sido feitas em pacientes adultos, com doenças mitocondriais, utilizando-se altas doses de CoQ10 (especialmente nas disfunções mitocondriais primárias, como cardiomiopatias e acidemia glutárica) e em doses menores para pacientes com doenças mitocondriais secundárias, crônico degenerativas; resultados do estilo de vida inadequado, do envelhecimento acelerado ou de doenças neurológicas, síndrome metabólica, osteoporose, doenças renais, doenças autoimunes e para prevenção.

Portanto, lembre-se. Nunca faça automedicação ou suplementação sem acompanhamento profissional. Procure um médico e/ou nutricionista para adequar a sua dose de CoQ10.

Você também pode gostar